Se você quer mudar a dieta do seu cachorro para alimentação natural, este é o post ideal para você!

Adotar a alimentação natural (AN) na vida do seu cachorro ou gato é uma decisão maravilhosa e com uma série de benefícios para o seu peludo:

  • Pêlo mais bonito e sedoso
  • Melhora do sistema imunológico
  • Mais disposição e alegria
  • Redução de dores inflamatórias
  • Redução de alergias
  • Cocô mais saudável e com odor mais suave

Mágica? Não! 

Isso é apenas o que acontece normalmente ao trocar uma dieta à base de ingredientes ultraprocessados, com corantes e conservantes por uma opção balanceada, feita com comida fresca e cozida gentilmente à vapor para atender o seu pet.

Mas como eu faço para trocar de ração para a Alimentação Natural? Vamos aos primeiros passos!

  1. Escolhendo a melhor opção de alimentação natural para cachorro
  2. Primeiros dias com alimentação natural para cachorros
  3. Uso de Probióticos com alimentação natural para cachorros
  4. Erros comuns ao iniciar a alimentação natural 

    1. Escolhendo a melhor opção de alimentação natural para cachorros

    Existem empresas como a Mascote Fit que produzem AN para pets e já entregam prontinha na sua casa. Ou você pode cozinhar por conta própria, seguindo a orientação veterinária. Veja abaixo os pontos importantes nestes dois cenários!

    1.1. Fazendo alimentação natural para pets em casa

    Pra muita gente, cozinhar não é trabalho, é terapia!

    Fazer a alimentação natural do seu pet em casa é uma opção comum aos adeptos de AN. É super bacana também!

    Se você já faz AN em casa para o seu pet, já sabe: alimentação natural para pets não é igual a restos de comida humana. É preciso que a dieta do seu pet seja balanceada e biologicamente adequada.

    Agora se você ainda não faz alimentação natural para o seu cachorro em casa, existe uma série de alimentos potencialmente tóxicos para pets que você precisa conhecer.

    Elencamos os alimentos que o seu pet pode e não pode comer neste post aqui.

    Mesmo os alimentos que são permitidos, devem ser dosados na medida certa. 

    Estes dois posts aqui podem ajudar você a ter uma ideia de quanto o seu pet irá precisar comer e também qual o percentual de proteínas, carboidratos, etc que compõem uma dieta de manutenção.

    Nossa recomendação caso você opte por fazer em casa é consultar com um veterinário especializado em nutrologia para ajudar a desenvolver o cardápio do seu amigão. 

    Mas para facilitar o trabalho, você pode comprar a AN já pronta com empresas como a Mascote Fit!

    1.2. Comprando Alimentação Natural pronta

    Aqui na Mascote Fit, nós produzimos as comidinhas de acordo com a fase da vida do seu pet: temos receitas distintas para filhotes, adultos ou idosos.

    Antes de entregar pra você, nós embalamos as comidinhas já na quantidade certa que o seu cachorro/gato precisa comer por dia, levando em conta o peso, a idade, o estado físico e o estado reprodutivo do seu pet (se ele é castrado ou não).

    Então é bem simples! Basta você dizer um pouquinho do seu pet pra gente e escolher entre as nossas receitas.

    Mas se a Mascote não me atender, o que eu preciso saber antes de comprar AN de uma empresa?

    1.2.1. Verificar se a empresa possui selo de registro no MAPA

    O registro no MAPA certifica que a empresa teve que passar por uma série de etapas de fiscalização até poder vender seus produtos. 

    Entre os procedimentos, é obrigatório a criação de um manual de boas práticas na cozinha, que serve para garantir a segurança alimentar na hora da produção.

    O selo do Mapa garante que você esteja comprando a alimentação do seu pet de uma empresa séria, que possui um responsável técnico e que fez um investimento pesado em segurança alimentar.

    1.2.2. Verificar se os alimentos são suplementados

    Temos um post inteiro dedicado só a importância que a suplementação tem na hora de balancear dietas de alimentação natural para cães e gatos. 

    Você pode verificar se a empresa usa suplementação analisando o rótulo e verificando se nele consta a informação que esta é uma “dieta completa”.

    Aqui na Mascote Fit, nós usamos a linha de suplementos Food dog, que nós consideramos a melhor do Brasil. 

    A linha Food dog é fabricada pela empresa Botupharma e tem como diferencial a presença de minerais quelatados, ou seja, minerais que estão associados a aminoácidos, garantindo a sua absorção correta pelo organismo do cachorro.

    1.2.3. Verificar se os pacotes são ultracongelados e selados a vácuo

    Um dos controles mais importantes na cozinha é a curva de crescimento microbiológico. 

    Os microorganismos estão em tudo: na água, no ar, em nós mesmos… E está tudo bem! Eles têm um papel importante na natureza!

    Durante o processo de cocção, o calor do fogão ou do forno elimina uma grande parte dos microorganismos existentes e faz com que a comida fique segura para consumo do seu pet.

    Porém, deixar a comida exposta após o cozimento cria novamente um risco de contaminação, principalmente na hora em que a comida está esfriando.

    Deixar os alimentos resfriando a temperatura ambiente permite que os microorganismos se desenvolvam na comida. Temperaturas entre 60ºC e 10ºC são adequadas para que a curva de crescimento microbiológico aumente exponencialmente!

    E aí entram o ultracongelador e a seladora a vácuo! Estes equipamentos são importantíssimos para que essa curva de crescimento microbiológico fique achatada.

    O ultracongelador é utilizado para resfriar rapidamente os alimentos assim que saem do fogo, não deixando com que os alimentos fiquem na temperatura que os microrganismos se desenvolvem. 

    Já a seladora à vácuo retira o ar do alimento, evitando o crescimento dos microrganismos aeróbicos (que usam oxigênio para se desenvolver).

    Temos também um post exclusivo falando sobre a importância do vácuo na hora de embalar os alimentos! Clique aqui para ler mais. 

    2. Primeiros dias com alimentação natural para cachorros

    Qualquer transição alimentar (mesmo entre marcas de ração) deve ser feita de forma gradual e preferencialmente com o acompanhamento de probióticos.

    Se você servir a alimentação natural de uma vez só, ele com certeza vai amar.

    Mas sem essa transição, é possível que o seu pet tenha algum desconforto estomacal/intestinal, pois as bactérias do sistema digestivo dele não estão acostumadas com esse tipo de nutrição.

    A transição gradual pode ser feita  conforme o seguinte exemplo:

    • 1º dia – 15% da nova dieta, 85% da antiga
    • 2º dia – 30% da nova dieta, 70% da antiga
    • 3º dia – 45% da nova dieta, 65% da antiga
    • 4º dia – 60% da nova dieta, 40% da antiga
    • 5º dia – 75% da nova dieta, 25% da antiga
    • 6º dia – 90% da nova dieta, 10% da antiga
    • 7º dia – Apenas a nova dieta

    3. Uso de Probióticos com alimentação natural para cachorros

    O uso constante de probióticos e prebióticos é super recomendado no dia a dia do seu animal de estimação, e na hora de mudar iniciar a jornada dele com alimentação natural, ainda mais!

    Os probióticos são um conjunto de micróbios (bactérias e leveduras) do bem que  auxiliam no equilíbrio da flora intestinal, na digestão dos alimentos, combatem outras bactérias nocivas e até mesmo produzem nutrientes e vitaminas!

    Já os prebióticos são os nutrientes destinados a nutrir e promover o crescimento de bactérias boas que já vivem no cólon do seu cachorro. Comida pras bactérias do bem.

    O uso constante de probióticos e prebióticos está associado a uma série de benefícios como aumento da imunidade e até mesmo redução no stress canino.

    Para cachorros com o estômago sensível, recomendamos inclusive iniciar a servir o probiótico alguns dias antes de iniciar a transição da dieta.

    São opções de probióticos:

    • Probióticos comerciais em pasta, como o Lactofull, da empresa Bothupharma ou o Microlac, da empresa Inovet. 
    • Probióticos em cápsulas
    • Probióticos Manipulados, opção recomendada para pets com problemas alérgicos.
    • Probióticos Naturais, como o Kefir e o Iogurte natural

    A melhor hora de servir os probióticos comerciais é na hora em que o seu pet for dormir, pois os probióticos funcionam melhor com o pet em jejum.

    Não é recomendado misturar os probióticos comerciais com a comida.

    Segredo: aqui na Mascote Fit, todos os novos assinantes ganham de brinde o probiótico Lactofull no primeiro mês de assinatura, além de receber em casa os pacotinhos especiais de transição.

    4. Erros comuns ao iniciar a alimentação natural 

    4.1. Achar que alimentação natural é igual a restos de comida

    Só fígado de boi e polenta não irá ajudar o seu pet a ter uma dieta saudável. Muito pelo contrário, no longo prazo, ele pode até mesmo desenvolver condições especiais de saúde pela ausência de nutrientes na dieta!

    Servir os restos que comemos em casa também não é recomendado. Além de não ser um cardápio balanceado para as necessidades nutricionais do seu cachorro, a dieta humana muitas vezes inclui alimentos perigosos para cães e gatos, como a cebola.

    Se o seu pet não tem problemas de saúde, é recomendado que a dieta dele siga os parâmetros de entidades internacionais de nutrição como a AAFCO, a NRC e a FEDIAF.

    O conteúdo publicado por estas entidades é base para definir a proporção de ingredientes para compor uma receita que atenda a todos os requerimentos mínimos na nutrição do seu peludo.

    Já se o seu cachorro apresenta alguma condição especial, como diabetes, nefropatias (problemas nos rins) ou cardiopatias (problemas no coração), o mais recomendado para ele é a elaboração de uma dieta terapêutica, após a consulta com um veterinário nutrólogo.

    4.2. Não fazer a transição

    Mesmo se o seu cachorro é daqueles que come até o reboco de parede, a transição gradual é recomendada.

    A mudança da alimentação “do dia pra noite” pode ser brusca demais, pois a flora intestinal precisa de um tempo para se adaptar a nova rotina.

    Pets já acostumados com alimentos naturais também podem se beneficiar ao fazer uma transição gradual. Isso pois nem sempre a dieta atual possui o mesmo tipo de suplementação.

    4.3. Oferecer muitos sabores em um pequeno espaço de tempo

    Alguns tutores gostam que o seu pet tenha variedade na hora de se alimentar. E isso é ótimo!

    Porém, oferecer ingredientes demais de uma só vez pode não ser uma boa ideia. 

    Assim como na mudança de modalidade alimentar, é recomendado que o seu cachorro tenha tempo de se adaptar a cada novo ingrediente apresentado.

    A introdução lenta de novos alimentos na rotina do seu pet também permite identificar com mais clareza se ele tem algum tipo de alergia ou intolerância alimentar. 

    Por isso, dê um tempo para que a flora intestinal dele se acostume com os ingredientes sem pressa 🙂

    “Ahh, mas o meu pet é muito enjoado! Ele só come o que gosta!”

    Existem sim pets com apetite mais seletivo, porém este comportamento não é comum e precisa ser investigado a fundo. Já atendemos casos em que após análise clínica, foram diagnosticadas comorbidades como gastrite crônica e hipoadrenocorticismo, que afetam o comportamento alimentar. 

    Sempre contate o seu médico veterinário de confiança ao optar por mudar a dieta do seu pet!

    4.4. Deixar o pet comer rápido demais

    As mudanças da nossa vida tem afetado também os cachorros. 

    Com a pandemia, muitos pets mudaram a rotina e passaram a se exercitar menos. Em alguns casos, esse acúmulo de energia acaba resultando em alterações comportamentais e ansiedade.

    Comer rápido demais às vezes é um subproduto desta ansiedade. E pode levar a uma série problemas, como:

    • Engasgos
    • Vômitos
    • Inchaços

    Estes são problemas que podem se tornar sérios!

    Por isso, caso o seu pet tenha este tipo de comportamento, algumas soluções de enriquecimento ambiental, como os comedouros lentos, podem ajudar.

    Com o comedouro lento, seu pet tem mais dificuldade em alcançar o alimento, e precisa pensar em formas de conseguir comer tudo!

    Dificultar a hora do almoço é interessante pois ainda trás um estímulo mental para o seu pet, entretendo-o por alguns bons minutos.

    Este tipo de desafio é benéfico para o desenvolvimento e a saúde mental do seu pet a longo prazo.

    Conclusão

    Agora que você já sabe tudo sobre como iniciar a alimentação natural com o seu pet, conta pra nós! Ele está gostando da mudança?

    E que tal deixar a parte trabalhosa para quem já está acostumado com o assunto? Preencha o nosso formulário de cadastro e receba rapidamente um orçamento para o seu pet!

    Sobre a autor

    Bruno Watanabe

    CEO (Cachorreiro empreendedor oficial) e Sócio Fundador da Mascote Fit, gosta de cachorro desde dos 6 anos, quanto ganhou o Rufio de natal.

    Atualmente é dono da Pug Laila, que não faz truques por amor, só por comida.

    Pin It on Pinterest

    Share This