Muita gente pergunta pra nós: como fica o cocô do cachorro com alimentação natural? O cocô fica mais fedido com alimentação natural? As fezes do meu cachorro vão ficar moles com alimentação natural?

A resposta? Não! Em poucos dias após a transição alimentar, o seu cão já deve apresentar fezes firmes, úmidas e com odor até mais suave do que antes! 

“Ahhh, mas eu gosto que cocô do meu cachorro fique seco e duro!” Claro que é mais fácil de recolher… mas imagine se fosse o seu cocô? Cocô duro e seco não significa cocô saudável.

Convidamos a nossa veterinária Dra. Marcelle Pons para falar um pouco sobre esse tema, confira abaixo!

Com a palavra, Dra Marcelle:

“Uma das principais dúvidas ao iniciar a alimentação natural se refere à frequência de defecação e, principalmente, em relação à consistência das fezes.

Para a surpresa de muito tutores, esta questão não é de forma algum um problema.

Os pets que consomem alimentação natural exclusiva apresentam fezes durinhas, com menos odor e sem muco, desde que o animal possua uma boa saúde intestinal e a alimentação tenha os percentuais corretos de proteína, vitamina e principalmente de fibra.

Algumas fibras tem a função de absorver água, garantindo assim que as fezes fiquem sequinhas e com formato. De forma geral, elas auxiliam na correta absorção de nutrientes pelo intestino através de regulação do trânsito intestinal e também por servir de mantimento à microbiota.

A microbiota intestinal, no caso as bactérias lá presentes, está intimamente relacionada à saúde intestinal e participa ativamente da digestão, assegurando que os nutrientes sejam aproveitados ao máximo. Porém parte desta absorção é garantida pela mucosa do intestino, a qual deve estar íntegra, livre de lesões e inflamações.

Desta forma, ao instituir uma dieta adequada e balanceada, há fornecimento de substrato a estas bactérias essenciais garantindo uma digestão e excreção saudável.

O alimento preparado pela Mascote Fit respeita os valores nutricionais de acordo com estabelecido pela Associação Americana de Controle de Alimentos (AFFCO), de forma que, aos pets que não possuem doenças gastrintestinais, não há risco de problemas associados à dieta.

Como funciona a transição alimentar?

A transição alimentar dura aproximadamente sete dias e, que neste período, é considerado normal o animal apresentar episódios de fezes pastosas. 

Caso aconteçam episódios esporádicos após a transição, é prudente entrar em contato conosco e com nossa equipe técnica para ajudarmos a elucidar o problema. Lembrando que cada indivíduo é único e que alguns pets necessitam de índices nutricionais específicos, enquanto outros possuem alergias alimentares que serão descobertas apenas após o consumo do produto.

Mas não se preocupe, são raras as situações em que o cocô do cachorro dá algum trabalho, sendo quase todas de fácil resolução!

Qualquer dúvida, a Mascote fit e sua equipe técnica encontra-se a disposição.”

Dra. Marcelle Pons

CRMV-PR: 14596

Tem dúvidas? Mande nos comentários que ficaremos felizes em ajudar!