Se você chegou até aqui, significa que você quer aprender a cozinhar alimentação natural em casa para seu cachorro. Pois saiba que vou contar a minha história com a AN que preparo há 7 anos em casa para meus cachorrinhos.

Tudo começou em 2017 com um shih tzu de 7 meses que se coçava e lambia freneticamente as patinhas chamado Salt. Já nessa fase, ele começou a apresentar manchas no pelo, também chamadas de lágrima ácida, e nitidamente o mocinho não queria mais comer ração.

Você já passou pelo problema de colocar a ração no potinho e o pet ficar o dia inteiro sem comer? Comigo foi assim! A refeição dele ficava ali o dia inteiro e raramente ele dava uma beliscadinha.

Até aquele momento, eu acreditava que a ração era o alimento mais completo que eu poderia oferecer para ele. Sempre tive a consciência de que não podemos dar restos de comida para os cães, porque podemos usar algum tempero que faça mal para eles, mas eu ainda não sabia que era possível dar comida de verdade para os pets.

Comecei a pesquisar sobre alergia canina, dermatite, conheci a Dra Andreia Oliveira, dermatovet que acompanha meus pets, até que caí no maravilhoso mundo da Alimentação Natural para Cães.

De cara, quando eu descobri que a alimentação natural aumenta a expectativa de vida dos cães eu não pensei duas vezes e entendi que era isso que eu queria para a vida do Salt. E pouco tempo depois, quando eu entendi que a AN ajuda a controlar as crises de alergia, eu percebi que tinha tomado a decisão certa em preparar comidinha para o Salt.

Dois anos depois, eu adotei uma cachorrinha chamada Pepper (Salt e Pepper, os temperinhos da minha vida) e, desde o primeiro dia comigo, ela já recebe sua alimentação natural.

Como fazer alimentação natural em casa para seu cachorro: passo a passo

Cozinhar para os pets é um baita ato de amor e posso garantir para você que é um dos momentos mais felizes do dia deles. Ver o rabinho do Salt abanando enquanto eu esquento a comidinha ou ver a Pepper salivando só pelo fato de eu tirar o pacotinho da geladeira não tem preço!

Mas o que realmente é impagável é a qualidade de vida que eu posso oferecer a eles com a alimentação natural.

Por isso, quero trazer um relato de como é minha rotina na preparação das refeições deles. Já vou te adiantar que é trabalhoso! Por mais que eu faça uma quantidade grande para termos marmitinhas por pelo menos 10 dias, eu preciso dedicar boas horas da minha semana na cozinha para oferecer tudo bonitinho para eles.

Então, confira o passo a passo que eu sigo para garantir o preparo de comidas frescas, saudáveis, sem corantes, conservantes ou aromatizantes para meus cachorrinhos.

Passo 1: saiba a dieta correta para seu cão

telemedicina veterinária nutricional

O primeiro passo é levar seu cachorrinho em uma consulta com um Médico Veterinário especialista em Nutrição. Isso é importante para que você receba as orientações necessárias no caso do seu animalzinho.

É verdade que existe uma quantidade-padrão de proteína, carboidratos, vegetais e vísceras que os pets podem receber com base no peso, mas cada cãozinho tem suas particularidades. Por isso, opte por receber a indicação própria para ele.

No meu caso, eu dei início à alimentação natural do Salt quando ele tinha apenas 7 meses. As recomendações para um filhote são diferentes de um cachorro adulto. 

Já a Pepper, por exemplo, foi adotada com um quadro bem forte de desnutrição, logo: a dieta dela foi totalmente diferente da alimentação do Salt.

Eu costumo fazer um checkup anual com eles, e nessa consulta a Veterinária Nutricionista deles, a Dra Melony Santos, reavalia uma vez por ano as dietas deles. É um investimento que vale muito a pena para eu me certificar de que estou fazendo tudo do jeito certo!

“Puxa, Andressa, mas eu não conheço nenhum Veterinário Nutricionista, como que eu faço?

Para te ajudar nesse sentido, você pode usar o Mascote Care! Ele consiste em consultas online detalhadas para criar um plano alimentar personalizado para cachorros. Você recebe o cardápio personalizado para cozinhar em casa as marmitinhas do seu peludo!

Passo 2: hora de ir às compras

Após receber o cardápio do seu pet, é hora de ir ao supermercado fazer as compras. 

É importante você saber que as quantidades citadas no cardápio do seu pet referem-se aos alimentos na forma cozida – e sempre que um alimento passa pelo processo de cocção, ele vai perder um pouco de peso.

Por isso, na hora de comprar os alimentos crus no mercado, já calcule que eles terão de 30% a 40% em média de perda.

Exemplo: vamos supor que você pretenda fazer marmitas para seu pet comer por 10 dias e que a dieta do seu cachorrinho seja:

  • 190g de batata doce sem casca
  • 75g de abobrinha
  • 15g de brócolis
  • 85g de músculo bovino moído
  • 15g de fígado bovino

Se a dieta indica que o cachorrinho precisa comer 190 gramas de batata doce por dia, isso significa que você precisa ter 1,9kg de batata doce cozida para fracionar as refeições de 10 dias, certo?

Mas se você comprar 1,9kg de batata doce crua, ao retirar a casca e cozinhar esse alimento, ela vai perder de 30% a 40% do peso, restando no final das contas 1kg/1,4kg para ofertar ao pet. Isso será insuficiente para garantir a dieta balanceada que seu pet precisa!

Por isso, na hora de comprar essa quantidade de batata doce do exemplo que dei acima, você deveria comprar aproximadamente 2.660kg do alimento cru.

Alguns alimentos, como brócolis e couve-flor, por exemplo, especialmente se cozidos no vapor, não perdem muito peso. O arroz é outro alimento que ganha peso após cozido – em média, 100 gramas de arroz cru equivale a 260/280 de arroz cozido.

Passo 3: hora de cozinhar

Legal, agora que você comprou todas as quantidades de alimentos, é hora de cozinhar tudo pra valer

Dependendo da quantidade de comida que você resolver fazer, reserve pelo menos 3h no fogão. Isso porque você terá que cortar, cozinhar, processar e armazenar todo o alimento – sem contar que terá que limpar toda a cozinha depois!

O que você precisa ter:

  • Balança para pesar os alimentos crus e cozidos;
  • Bacias grandes para esfriar e misturar os alimentos;
  • Panelas grandes;
  • Colher com cabo grande;
  • Faca afiada;
  • Tábua para cortar alimentos;
  • Processador grande de alimentos pode ajudar;
  • Saquinhos para embalar os alimentos (pode ser potinhos);
  • Muito tempo e carinho envolvido.

Cozinhando as proteínas

Minha dica é começar a cozinhar as carnes primeiro. Isso porque, o caldinho da carne bovina pode ser utilizado para cozinhar outros alimentos. 

Uma forma de você fazer a carne render um pouco mais é cozinhá-la no vapor. Desse jeito, você consegue manter ainda mais os nutrientes da proteína.

Coloque a carne moída já descongelada em uma panela e, se possível, não adicione água – ou coloque pouquíssima água apenas para não grudar no fundo da panela. Durante o processo de cocção, a própria carne já solta um pouco de água.

Não há necessidade de colocar temperos. Diferente de nós, humanos, que adoramos um temperinho para deixar a comida mais saborosa, os cães literalmente lambem os bigodinhos após ganhar o alimento sem nenhuma adição de tempero.

Alguns temperos, como a cebola, por exemplo, são extremamente tóxicos para os cães, podendo levar nossos peludos à morte! 

Você pode colocar, na hora de servir, manjericão fresco, alecrim ou cúrcuma, por exemplo, mas só na hora de servir e porque esses temperos possuem muitas vitaminas e benefícios para a saúde do pet, não para deixar o rango mais palatável.

A carne não deve ficar horas e horas na panela, beleza? Eu costumo cozinhá-la por 20 minutinhos, que ela já fica marronzinha e nitidamente bem cozida, mantendo boa parte de seus nutrientes.

Já prepare a sua balança para a primeira pesagem! Tire a tara da bacia e, com auxílio de uma escumadeira, retire a carne da panela, colocando-a na bacia para esfriar. Deixe o caldinho da carne escorrer bem antes de colocar na bacia.

Confira com muita atenção o peso da carne e anote essa quantidade em um papel, ela será seu ponto de partida para calcular a quantidade dos demais alimentos.

Exemplo: vamos usar a dieta que comentei anteriormente, na qual o cachorrinho precisa de 85g de carne por dia. Para preparar 10 dias de marmitas, você tem que ter 850g de carne moída cozida no total. 

Suponha que sua pesagem tenha dado 935g de carne. Isso significa que você terá 11 dias de comida para o cão – e terá que recalcular todas as demais quantidades de vegetais, carboidratos e vísceras para 11 dias. 

Se na sua pesagem, você chegou a ter 810g de carne moída, você precisa preparar essas 40g a mais, viu? Não são “só 40 graminhas faltando”, é quase metade da quantidade diária que o pet precisa por dia. Você vai ter que pegar mais uma bolinha de carne moída, sim, para complementar a dieta do pet. 

É, minha amiga, a responsabilidade é grande, mas entenda que você deve seguir à risca as quantidades recomendadas para garantir uma dieta balanceada para o pet!

Ah! Aqui algo bem importante sobre cuidados de contaminação: todo alimento após cozido, se ficar em temperatura ambiente, corre o risco de ser contaminado por alguma bactéria

Por isso, é importante ser ágil no processo de esfriamento. Minha dica é que você coloque a bacia com o alimento na geladeira enquanto prepara todo o restante dos itens.

Eu não preparo frango porque o Salt tem alergia a essa proteína. Se o seu pet puder comer, você pode cozinhar apenas na água na panela de pressão. Após 20 minutinhos na pressão, é só desligar e esperar o vapor sair por completo. 

Retire a água da panela, tampe novamente e use a tática infalível dos cozinheiros brasileiros: chacoalhe o frango dentro da panela de pressão para desfiá-lo facilmente. Força nos braços aí, minha gente!

Cozinhando os carboidratos

Os carbos principais das dietas cozidas para cães são, na grande maioria, arroz parboilizado e batata doce, seja ela a branca ou a roxa. Mas também é comum encontrar macarrão e batata inglesa nas preparações.

O arroz é tranquilinho! Coloque a quantidade na panela com um pouco de água ou com o caldinho do cozimento da carne que preparou antes, e vá atendendo para não deixar queimar. Complete com água sempre que necessário.

Para preparar batata doce, eu costumo retirar a casca dela. Eu faço isso especificamente para o Salt e a Pepper, porque já tive episódios de vômitos quando eles comeram as cascas – mas, como eu disse: cada pet tem sua peculiaridade!

Se você for utilizar a batata inglesa, a recomendação também é retirar a casca. Isso porque ela contém solanina, uma substância que é tóxica para os pets. Ela praticamente desaparece após o processo de cocção, mas é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo?

Eu corto as batatas em pedaços pequenos porque, após cozidas na água ou no caldinho da carne que preparei anteriormente, eu passo o alimento no processador de alimentos. Se você não tiver um processador, minha recomendação é que você corte as batatas em cubinhos bem pequenos para seu cão comer.

Não sei como será na sua casa, mas aqui, minha duplinha fica maluca na hora de comer. Eles são muito pequenos e engolem tudo inteiro na euforia, por isso opto por usar o processador para facilitar a digestão.

A batata fica pronta na hora que estiver macia, use o garfo para achar o ponto ideal. Retire o alimento da panela com a ajuda da escumadeira e, novamente: pese o alimento cozido.

Você tem que ser fera em matemática para fazer regra de 3 ou para calcular a quantidade dos outros ingredientes que faltam. É necessário levar à risca as quantidades de alimentos cozidos indicados pelo profissional de Nutrição Pet.

Espere a batata doce esfriar bem e, aos poucos, vá colocando no processador de alimentos. Não faça esse processo com ela quente, senão você corre o risco de quebrar/trincar o copo do processador. Use a função de pulsar para triturar o alimento, evitando que vire um purê.

Cozinhando os vegetais

Geralmente, a dieta dos cachorrinhos possui dois tipos de vegetais. No nosso caso, um deles é chuchu ou abobrinha, que são ofertados em quantidades maiores; e o outro vegetal varia entre brócolis, couve-flor, vagem, beterraba ou abóbora.

Tanto o chuchu quanto a abobrinha, eu retiro toda a casca, corto em cubos e cozinho na água. O chuchu fica pronto, geralmente, em 15 minutos, enquanto a abobrinha leva menos de 10 minutinhos. O ponto deles é quando ficam macios, use o garfo para conferir.

Os demais vegetais eu preparo no vapor. No meu caso, eu tenho uma panela de arroz e utilizo a função de vapor dela. Eu poderia fazer o chuchu e abobrinha no vapor? Poderia! Mas minha panela é muito pequena e eu ia demorar muuuuuito mais tempo do que já levo normalmente na cozinha.

É importante nunca deixar os alimentos cozinharem por tempo demais, pois isso faz com que eles percam nutrientes. Se isso acontecer, boa parte dos benefícios da alimentação natural acabam indo pelo ralo.

Ah! E diferente do que faço com o caldinho que sobra no cozimento da carne, não devemos reutilizar a água do cozimento de vegetais, combinado?

Após cozidos e frios, eu passo os alimentos no processador de alimentos. Conforme eu tiro do processador, vou pesando novamente para conferir o valor.

Cozinhando as vísceras

Cerca de 5% da alimentação natural de cachorros é constituída por vísceras bovina ou de frango. Aqui, como o Salt é alérgico a frango, eu uso fígado ou coração bovino.

A preparação é bem simples, cozinhando com pouquíssima água em uma panela. Após esfriar, vai para o processador de alimentos.

Reserve todos os alimentos cozidos e triturados em recipientes específicos.

Passo 4: misturando os alimentos

Ufa! Após boas horas tirando casca, cozinhando, esperando esfriar e processando o alimento, é hora dos cálculos para misturar.

O ideal é que você pegue uma bacia e coloque as quantidades diárias indicadas pela Veterinária Nutricionista.

Ou seja, pegando a dieta de exemplo que citei anteriormente, você teria que colocar em uma bacia: 190g de batata doce cozida + 75g de abobrinha cozida + 15g de brócolis cozido + 85g de músculo cozido + 15g de fígado bovino cozido. Misture bem os alimentos com a ajuda de uma colher.

Eu também poderia calcular qual o valor para 10 dias e misturar todos os alimentos em uma bacia extremamente grande. Usando o mesmo exemplo anterior, eu iria misturar: 1,9kg de batata doce cozida + 750 de abobrinha cozida + 150 de brócolis cozido + 850 de músculo cozido + 150 de fígado bovino cozido, e iria misturar bem os ingredientes.

O problema de fazer isso, caso os alimentos não sejam misturados corretamente e de forma homogênea, é que eu não conseguiria garantir que as quantidades diárias indicadas pela Veterinária seriam atendidas, desbalanceando o valor nutricional diário.

Passo 5: porcionando nos pacotinhos para congelar

Agora que temos todos os alimentos misturadinhos, é hora de colocar em pacotinhos para congelar. Eu costumo usar saquinho ziplock, mas você pode usar potinhos se preferir.

Dica: eu adiciono os alimentos misturados no saquinho e fecho mais da metade do ziplock. Deito o saquinho na mesa e, com ajuda das mãos, tento tirar o ar do pacote – isso facilita o processo de congelamento.

Os saquinhos ficam parecendo barras, e eu posso colocar um em cima do outro na hora de congelar.

Como eu tenho uma duplinha em casa, eu também etiqueto cada um dos pacotinhos com o nome do pet ou com uma numeração para diferenciar o cardápio.

Às vezes eu faço dois cardápios para intercalar os alimentos. Por exemplo, eu faço comida para os dois para 20 dias. Um cardápio com batata doce, abobrinha, brócolis, músculo e fígado; e outro com arroz, chuchu, vagem, patinho e coração, cada um nas quantidades necessárias.

Passo 6: servindo o papazinho com a suplementação

@saltpeppershihtzu Alimentação natural para cães: confira como é feita comidinha para mais de 30 dias! 🙌 Dá bastante trabalho, foram 7,5kg de batata doce descascadas, cozidas e trituradas hehehe 😅 🚨Você tem que levar seu pet ao veterinário para que ele passe um cardápio balanceado de acordo com o que SEU PET necessita, tá bom? Tem que ter proteína + carbo + vegetais + víceras nas proporções recomendadas pelo profissional. Depois é só comprar os alimentos, cozinhar, triturar, misturar, porcionar e congelar! Na hora de servir, TEM QUE adicionar todos os suplementos e óleos indicados pelo vet 👍 Aqui nos fazemos AN há 6 anos por conta de alergias alimentares e o resultado é excelente. Exames de sangue sempre impecáveis e crises reduzidas 🙏 Procure um veterinário com especialização em nutrição para cães ❤️ #alimentacaosaudavel #alimentacaonaturalpet #alimentacaonatural #alimentacaonaturalparacaes #anparapets #cachorros #shihtzu #shihtzubrasil #shihtzusoftiktok #vaiprofycaramba #shihtzulovers #cachorrosdotiktok #dogsoftiktok #dogs #veterinaria #vet ♬ оригинальный звук – Sadu

Que rufem os tambores, pois esse é o momento mais aguardado do dia dos meus pequenos!

Tudo que foi congelado dentro de um pacotinho é a quantidade que o pet precisa comer durante um dia inteiro. 

No meu caso, na hora de servir, eu costumo dividir essas refeições em três porções: uma de manhã, outra na hora do almoço e outra no jantar. Eu preciso fazer isso porque o Salt, sempre ele, já teve gastrite por comer apenas duas vezes ao dia.

Na hora de servir, eu adiciono os óleos, como óleo de linhaça e girassol, ômega 3 e o suplemento necessário para garantir todas as vitaminas que meus cachorros precisam.

Não é opcional: você deve adicionar a suplementação à alimentação natural do pet. É verdade que os alimentos são ricos em vitaminas, mas a suplementação é obrigatória e talvez a maior responsabilidade que você tenha que ter!

Quanto tempo eu gasto para fazer a alimentação natural dos meus cachorros?

Para fazer 10 dias de comida para dois cães de pequeno porte, eu gasto em média 4h do meu dia, contando desde o tempo de ir ao mercado comprar os alimentos, a preparação e a limpeza da cozinha, que fica um caos.

Por mês, vão basicamente 12h para fazer 30 dias de comida para dois cachorros de pequeno porte. É trabalhoso, sim!

Fica muito mais caro fazer alimentação natural do que comprar ração?

Vou trazer o meu caso: tenho dois shih tzu alérgicos e, por isso, teria que dar ração hipoalergênica sem frango.

Peguei o custo da ração ND Cordeiro, que era aquela que ficava parada no potinho do Salt o dia inteiro. Um pacote de 10kg custa na faixa de R$ 422 e provavelmente eu usaria essa quantidade por mês para os dois, que comeriam em média 150g de ração por dia cada um.

Quando eu encontro boas promoções no mercado e na feira, eu gasto menos do que esse valor com os alimentos para preparar marmitas para 30 dias. Aí, minha gente, é o poder do brasileiro de ficar atento às ofertas e de congelar os alimentos corretamente.

Claro, se eu calcular os gastos que eu tenho com a minha hora de trabalho, com energia, gás, combustível, o valor vai ficar superior à despesa com a ração, mas nem se compara ao benefício que eu trago para a vida deles.

E se eu colocar o tempo que eu gasto fazendo tudo isso na ponta do lápis, confesso pra vocês que fica mais barato eu preparar a alimentação deles com a Mascote Fit rs. Se você quiser ter uma ideia de quanto ficaria o valor caso a alimentação natural do seu cachorro fosse preparada pela Mascote Fit, basta montar seu plano aqui.

O legal aqui da Mascote Fit é que a refeição já vem 100% pronta, já com os alimentos, todo o trabalho de cozinhar, pesar e porcionar, além de já vir com o suplemento e todos os óleos indicados pelas nutricionistas. E você ainda recebe a comidinha ultracongelada na porta da sua casa.

Seja preparando com responsabilidade em casa ou com o apoio de empresas como a Mascote Fit, oferecer alimentação natural é o maior ato de amor que você pode ter com seu pet. 

Os benefícios que a alimentação natural para cães garantem para a saúde do seu pet são imensos, incluindo: 

  • Diminuição da prevalência do câncer;
  • Redução de alergias alimentares;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Aumento da expectativa de vida do seu amiguinho;
  • Melhora no aspecto da pele e do pelo;
  • Redução da obesidade;
  • Aumento da vitalidade, seu pet fica mais ativo;
  • Redução do mau hálito;
  • Melhora na qualidade fecal;
  • Melhora da digestibilidade;
  • Aumento da expectativa de vida <3
WhatsApp chat