A saúde da pele do seu cachorro é tão importante quanto a saúde geral dele, e a dermatite canina é uma condição que pode causar muito desconforto. Essa inflamação da pele pode ser causada por alergias, parasitas, infecções e até fatores ambientais. 

Os sinais típicos incluem coceira intensa, vermelhidão, inchaço e perda de pelo, e identificar a causa exata é determinante para proporcionar o melhor tratamento.

Aqui na Mascote Fit, sabemos o quanto seu cão significa para você e queremos te ajudar a garantir que ele esteja sempre saudável e feliz. Com o cuidado certo, seu amigo peludo pode ter uma pele saudável e viver livre do desconforto da dermatite.

O que é dermatite canina?

Dermatite canina é uma inflamação da pele que afeta cães, podendo ser desencadeada por diversas causas, como alergias (alimentares, ambientais ou de contato), parasitas (como pulgas e ácaros), infecções bacterianas ou fúngicas e fatores ambientais (umidade e calor excessivo), explica a Dra Andréia Oliveira, Médica Veterinária e Especialista em Dermatologia.

Sintomas da dermatite em cães

Clinicamente, os sintomas da dermatite canina podem ser parecidos, mesmo que a causa da inflamação na pele do pet seja diferente. 

Por isso, “é sempre importante que a tutora esteja atenta ao seu animalzinho, avaliando se ele teve alguma mudança de alimentação, mudança de ambiente, passeio diferente etc.”, explica a Especialista em Dermatologia Veterinária.

Os principais sintomas da dermatite canina são:

  • Coceira intensa;
  • Pele vermelha;
  • Pele com manchas escuras;
  • Lesões com crostas ou que sangram;
  • Descamação da pele, parecida com caspa;
  • Lambedura de patinha;
  • Queda ou falhas no pelo;
  • Piodermite, que são bolinhas parecidas com espinhas;
  • Otite, que são inflamações no conduto auditivo do pet;
  • Pele inchada;
  • Odor forte na pele do animalzinho.

Quais as principais causas da dermatite canina?

  • Fatores genéticos: também conhecida como dermatite atópica, é uma condição inflamatória crônica da pele que ocorre devido a predisposições hereditárias. A dermatite atópica é caracterizada por uma reação exagerada do sistema imunológico a alérgenos ambientais comuns, como pólen, ácaros da poeira e mofo;
  • Infecção bacteriana: também conhecida como piodermite superficial, é uma condição em que a pele do cão é infectada por bactérias, frequentemente estafilococos. Essa infecção pode surgir devido a feridas, coceiras intensas ou condições pré-existentes que comprometem a barreira protetora da pele;
  • Infecção fúngica: condição onde a pele dos cães é afetada por fungos, comumente espécies como Malassezia ou Dermatophytes. Essas infecções fúngicas podem ocorrer quando há um desequilíbrio no microbioma da pele, frequentemente causado por umidade excessiva, sistema imunológico comprometido ou outras condições subjacentes que afetam a saúde da pele;
  • Alergia alimentar: também conhecida como dermatite alérgica alimentar, ela ocorre quando um cão desenvolve uma reação adversa a certos ingredientes em sua dieta. Essa condição pode resultar de alergias a proteínas comuns, como carne de frango, carne bovina, laticínios ou grãos, por exemplo;
  • Alergia de contato: é uma reação inflamatória da pele que ocorre quando o cão entra em contato direto com substâncias irritantes ou alergênicas. Esses alérgenos podem incluir plantas, produtos químicos, detergentes, pesticidas ou até materiais usados em colares e brinquedos.
  • Alergia a insetos: também conhecida como dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP), ocorre quando um cão tem uma reação alérgica à saliva de insetos, principalmente pulgas. Outros insetos que podem causar reações alérgicas incluem mosquitos e ácaros.

Como o diagnóstico da dermatite canina é feito?

Caso você, tutora, tenha observado algo diferente na pele do seu amiguinho de quatro patas, a recomendação é levar o pet ao dermatologista. Como você pode conferir, existem diferentes causas de dermatite canina e apenas o Médico Veterinário será capaz de te indicar o melhor tratamento.

Eu vou comentar como foi a nossa experiência em uma consulta com a Dra Andréia Oliveira! Primeiro, ela fez toda a parte de anamnese, na qual eu fiquei mais de 30 minutos respondendo diversas perguntas sobre meu cachorro.

Depois, vamos para a avaliação clínica, na qual ela observa cada centímetro do animalzinho, desde o ouvidinho até as unhas e meio dos dedinhos. Durante essa verificação, ela já faz a coleta de material para preparar as lâminas e fazer a citologia, que são observadas no microscópio. A coleta é feita com cotonete e fita.

O momento da leitura das lâminas é bem legal para nós, tutores, porque ela projeta em um monitor tudo o que ela está observando. Dessa maneira, vamos entendendo mais o diagnóstico, vendo as bactérias, a malassezia, os ácaros entre outros fatores que podem causar a dermatite.

Após a leitura das lâminas, é possível saber exatamente se a inflamação é fúngica, bacteriana ou de outra natureza, para sair da consulta já com o tratamento correto.

Não tem segredo e nem “chute” no diagnóstico: a análise das lâminas é fundamental para que o diagnóstico seja preciso

No meu caso, já passei por fases na qual meu cachorrinho estava com infecção fúngica, e recebeu um tipo de tratamento; como também já tive situações em que ele estava com infecção bacteriana, e o tratamento foi outro!

Eu, enquanto tutora, consigo observar o meu animalzinho e saber o que aconteceu de diferente, mas somente um profissional capacitado vai conseguir prescrever a manipulação correta para a situação.

Como é o tratamento da dermatite canina?

Existem diferentes formas de tratamento e tudo vai depender do motivo pelo qual seu pet está com dermatite. 

O tratamento da dermatite fúngica é bem diferente do tratamento da dermatite bacteriana, por exemplo, e somente um profissional capacitado conseguirá prescrever o que seu cachorrinho necessita.

Levar seu peludo a um veterinário especialista em dermatologia é essencial para que você saia com o tratamento correto para seu pet, que geralmente constitui no uso de medicamentos manipulados e de shampoos terapêuticos. “Sempre lembrando que a hidratação da pele do animal com dermatite é essencial para ajudar em qualquer tratamento”, reforça a Dra Andréia Oliveira.

Como dar banho no cachorro com dermatite

Levar seu amiguinho de quatro patas no pet shop para tomar banho é a medida mais recomendada para que todos os procedimentos sejam feitos com a atenção necessária, mas sabemos que, dependendo da dermatite que o cão tiver, pode ser que você tenha que banhar o pet em casa para completar o tratamento.

Isso acontece especialmente nos casos em que os animais precisam utilizar shampoos manipulados com mais de um banho por semana, explica a dermatologista. Como a pele dos cães com dermatite fica bastante sensível, a recomendação é que você faça isso com muita paciência e gentileza.

Comece o banho limpando os olhos e ouvidos do pet, utilizando um algodão hidrofóbico. Use a loção indicada pelo seu Médico Veterinário para seguir o tratamento bonitinho.

Depois, proteja os ouvidos do peludo com algodão hidrofóbico. Dar banho no chuveiro, com a ajuda de um chuveirinho, vai facilitar o processo. Dra Andréia Oliveira explica que não devemos deixar a água muito quente, pois isso pode ressecar a pele do pet.

Molhe o bichinho e aplique o shampoo, massageando bastante o corpinho. Confira quais são as recomendações do Veterinário referente ao tempo que o pet precisa ficar “de molho” e ensaboado – que é o tempo para o produto agir. Após isso, enxágue bem.

Na hora de secar, retire o excesso de água no pelo com uma toalha. Aplique o hidratante e massageie bem a pele do seu animalzinho para que o produto penetre bem. Esses hidratantes, como o Hidrapet, são sem enxágue!

Agora, é só usar o secador na temperatura morna – não pode ser quente, pois vai irritar a pele do peludo! Deixe o secador distante da pele para não queimar e nem ressecar. 

Como prevenir a dermatite canina?

Prevenir a dermatite canina envolve uma combinação de cuidados com a alimentação, higiene e controle ambiental. Aqui estão algumas estratégias da Dra Andréia Oliveira para você ajudar seu peludo:

Garanta o controle de parasitas

Você já viu que pulgas e carrapatos são associados a problemas de pele em cães. Existem várias opções de tratamento disponíveis, incluindo medicamentos tópicos, comprimidos orais, colares repelentes e sprays naturais. Se o seu cachorrinho está sofrendo ou já sofreu de dermatite devido a pulgas ou carrapatos, é importante usar regularmente produtos eficazes para controlar esses parasitas.

Atenção especial para a higiene do pet

Mantenha a pele e o pelo do seu amiguinho de quatro patas limpos com banhos regulares. Use shampoos apropriados para pele sensível ou indicados pelo veterinário, sem dúvidas eles vão ajudar a aliviar a coceira e remover substâncias irritantes da pele do cachorro.

Proporcione alimentação balanceada e adequada para o pet

A alimentação é a base da saúde do seu cachorrinho! Ofereça uma dieta balanceada e de alta qualidade, evitando ingredientes que possam causar alergias alimentares. Em alguns casos, suplementos alimentares podem ajudar a melhorar a saúde da pele e reduzir a inflamação associada à dermatite. No entanto, é importante discutir com um veterinário antes de adicionar qualquer suplemento à dieta do cachorro.

Mantenha o ambiente limpo para seu pet

Manter o ambiente onde o cachorro vive limpo e livre de pulgas e carrapatos também é importante para prevenir infestações e recorrências da dermatite. Isso inclui aspirar regularmente tapetes e áreas onde o cachorro passa muito tempo e lavar a roupa de cama do cachorro em água quente.

Hidrate sempre a pele do seu cachorrinho com dermatite

A hidratação da pele é ótima para todos os pets, mas ela acaba sendo essencial para os animaizinhos com dermatite, porque ajuda a aliviar a coceira, reduzir a inflamação e promove a cicatrização. Utilize hidratantes específicos para cães, especialmente se seu pet tiver a pele seca ou sensível.

Identifique a blinde seu pet dos alérgenos

Se a dermatite do cachorro for causada por alergias, identificar e evitar os alérgenos que desencadeiam as crises vai ajudar a reduzir os sintomas. Isso pode incluir mudanças na dieta, evitar certos materiais de cama ou produtos de limpeza, ou limitar a exposição a pólen e outros alérgenos ambientais.

Como a alimentação natural pode ajudar pets com dermatite?

Muitos alimentos comerciais para cães contêm ingredientes que podem desencadear alergias e irritações na pele, como grãos, corantes e conservantes. Uma dieta natural, composta principalmente de ingredientes frescos, reduz a exposição do pet a esses alérgenos, minimizando assim os sintomas de dermatite canina.

E se você já teve a oportunidade de fazer um teste alérgico em seu pet, você vai saber ainda mais quais alimentos é importante evitar para que o bichinho não tenha crises de dermatite.

Aqui na Mascote Fit, nós cuidamos do seu pet como se ele fosse nosso! Isso significa que tudo o que fazemos envolve muito carinho e responsabilidade. Por isso, nossos veterinários nutrólogos montam as dietas de forma personalizada e escolhem cada um dos ingredientes a dedo para que a refeição do seu pet seja repleta de sabor, alegria e saúde.

Todas as refeições que preparamos e entregamos na casa dos tutores chegam com a suplementação indicada pelo Médico Veterinário. Assim, basta descongelar e servir o papá para seu peludo. Fazemos isso para facilitar a sua rotina e, principalmente, para garantir que você consiga oferecer uma dieta 100% balanceada com tudo o que seu pet precisa, aproveitando todos os benefícios da alimentação natural para pets.

Mude já a dieta do seu pet! Use nossa calculadora de alimentação natural para receber um orçamento personalizado da AN que seu animalzinho de estimação precisa.

WhatsApp chat