Se tem uma coisa que pode deixar qualquer cãozinho incomodado é a otite. Aquela coceira chata, vermelhidão, dor e até mau cheiro nas orelhas podem ser sinais de que algo não está bem com seu peludo. 

Mas não se preocupe! Aqui na Mascote Fit, nós entendemos a importância de cuidar de cada detalhe da saúde do seu cão, e as orelhas não ficam de fora do processo! 

A otite canina é uma inflamação que afeta os ouvidos dos cachorros e, se não tratada, pode causar bastante desconforto e até problemas mais graves. 

Para nos aprofundarmos no assunto, conversamos com a Dra Juliane Possebom, Médica Veterinária especialista em Dermatologia veterinária pelo Instituto Qualittas, com aperfeiçoamento em Otologia Veterinária e Mestrado e Doutorado em Ciência Animal com ênfase em Dermatologia e Alergologia pela PUCPR.

Neste post, vamos explorar os tipos de otite, as causas, como a alimentação ajuda no processo e, claro, como tratar essa condição. Afinal, queremos ver seu pet sempre feliz, saudável e sem aquela coceira incômoda nas orelhas.

Tipos de otite canina

Cada tipo de otite canina requer atenção e tratamento adequados, por isso é importante identificar os sintomas e procurar ajuda veterinária o quanto antes.

Otite externa: é o tipo mais comum de otite e afeta o canal auditivo externo, que vai desde a abertura da orelha até o tímpano. Começa com uma coceira intensa, vermelhidão, inchaço, secreção e odor desagradável.

Otite média: afeta a parte média do ouvido, localizada logo atrás do tímpano. Pode ocorrer se a otite externa não for tratada adequadamente e a infecção se espalhar. Os principais sintomas são dor, perda de equilíbrio, inclinação da cabeça e, em casos graves, perda de audição.

Otite interna: essa é a forma mais grave de otite, afetando a parte interna do ouvido, que contém estruturas essenciais para a audição e o equilíbrio. O cão perde o equilíbrio, anda em círculos, tem náusea, vômito e sinais de dor intensa. Pode levar à surdez se não for tratada prontamente.

Quais os sintomas da otite canina?

Como você viu acima, a inflamação pode se manifestar na parte externa, média e interna do ouvido do pet. Os sinais variam dependendo da gravidade e da localização da infecção, mas segundo a Dra Juliane Possebom, os sintomas de otite canina mais comuns incluem:

  • Coceira e desconforto: o cão pode coçar as orelhas frequentemente e até esfregar a cabeça em móveis ou o chão;
  • Vermelhidão e inchaço: as orelhas podem parecer avermelhadas, quentes e inchadas;
  • Odor desagradável: um cheiro forte pode emanar das orelhas do seu peludo;
  • Secreção e cerume: pode haver presença de secreção amarelada, marrom ou negra no ouvido;
  • Chacoalhar a cabeça: o cão pode chacoalhar a cabeça repetidamente na tentativa de aliviar o desconforto;
  • Dor: o pet pode demonstrar dor quando as orelhas são tocadas;
  • Inclinação da cabeça: o cão pode inclinar a cabeça para o lado afetado.

Quais as principais causas da otite em cachorros?

De acordo com a Dra Juliane Possebon, “a principal causa da otite que ocorre nos cães, principalmente aquela vai e volta vai e volta, são as causas alérgicas”. 

Contudo, além da dermatite canina, a especialista em otologia veterinária explica que existem outras causas que também podem desencadear as crises, “como doença sistêmicas como hipotireoidismo, nódulos e tumores nas orelhas e uma coisa que pode acontecer também é acharmos corpo estranho, que pode ser um pedaço de algodão, papel higiênico coisas que ficam dentro da orelha e acabam sendo esquecidas e levam à inflamação do ouvido”.

Além disso, seu pet pode desenvolver otite por infecções bacterianas ou infecções fúngicas, que podem contribuir para casos de otite canina, já que fungos prosperam em ambientes úmidos.

Falando em umidade, você já deve saber que devemos cuidar para não entrar água no ouvido dos nossos pets porque isso pode gerar otite, certo? Isso realmente é um fato que devemos cuidar para prevenir inflamações.

Sobre esse assunto, a Dra Juliane Possebom cita que “uma coisa que a gente tem que cuidar muito é que se o paciente está tendo otite recorrente, essa que vai e volta muito, não devemos culpar apenas o pet shop, achando que eles estão deixando entrar água na orelha durante o banho”.

Entretanto, a Mestre e Doutora em Alergologia veterinária explica que “porém, o excesso de cuidados podem gerar otite. Fica tirando pelo ou usando produtos de forma inadequada podem irritar o conduto auditivo, fazendo a otite voltar. A dica mais importante: se o pet está tendo otite que vai e volta, vai e volta, tem que investigar o motivo dela estar indo e vindo. Então, tem que saber a causa de base”.

Como tratar a otite canina?

Você viu que a otite pode ser causada por diferentes fatores e, com isso, diferentes tratamentos podem ser indicados para seu amiguinho de quatro patas.

A recomendação é que você sempre leve seu pet ao veterinário para que um profissional capacitado possa indicar o diagnóstico adequado para o cãozinho. O veterinário vai examinar o ouvido do cão, utilizando um otoscópio, e vai coletar amostras de secreções para identificar o tipo de infecção (bacteriana, fúngica ou parasitária).

A Doutora em Alergologia veterinária Juliane Possebom ensina que “a primeira coisa que a gente deve fazer quando vai tratar uma otite é limpar a orelha. Existem produtos específicos que o veterinário vai indicar para limpar a cera ou a secreção”.

Além da limpeza, a profissional comenta sobre o tratamento. Segundo ela, “se o pet tiver uma infecção, ela deve ser tratada de forma adequada com antibiótico, antifúngico, além de controlar a dor e a inflamação da orelha. Mas é muito importante entender o por quê essa otite estar vindo. Não adianta tratar somente a otite se não tratar o que está ocasionando o problema, que chamamos de causa de base. Se é um paciente alérgico, temos que tratar a alergia junto”.

Como a alimentação pode influenciar na ocorrência de otite?

Alguns pets podem apresentar alergias alimentares a determinados ingredientes na ração ou na comida, como proteínas específicas (frango, carne bovina, laticínios) ou grãos (trigo, milho). Essas alergias podem desencadear crises que resultam em uma inflamação generalizada, aumentando a probabilidade de otite.

O tutor pode entender as alergias do seu pet por meio da observação, da oferta e exclusão de alimentos, ou da realização de testes alérgicos de contato na pele ou sorológico.

Uma dieta desequilibrada pode levar a deficiências em nutrientes, tornando a pele e os ouvidos mais suscetíveis a infecções. Por isso, garantir uma alimentação rica em vitaminas ajuda na prevenção da otite no seu amiguinho.

Dietas balanceadas para aumentar a imunidade do seu pet

Uma boa alimentação vai garantir a saúde do sistema imunológico do seu peludo. Nutrientes como antioxidantes, vitaminas e minerais são fundamentais para um sistema imunológico forte. 

E a alimentação natural, feita com ingredientes frescos, sem conservantes ou corantes, é tudo de bom para você garantir uma dieta rica em nutrientes que vão fortalecer as defesas do corpo do cão, tornando-o mais capaz de combater infecções e inflamações, incluindo as que ocorrem nos ouvidos.

Aqui na Mascote Fit, nós preparamos a alimentação natural de cada pet seguindo rigidamente as recomendações dos Médicos Veterinários especialistas.

Após cozinhar tudo no vapor para não perder os nutrientes dos alimentos, nós congelamos cada pacotinho com a porção diária de saúde e felicidade que seu amigo de quatro patas precisa. Ah, e o mais legal: a gente já coloca toda a suplementação necessária para seu cachorrinho.

Assim, basta descongelar e servir a comidinha para seu peludo. Fazemos isso para facilitar a sua rotina e, principalmente, para garantir que você consiga oferecer uma dieta 100% balanceada com tudo o que seu pet precisa, aproveitando todos os benefícios da alimentação natural para pets.

Mude já a dieta do seu pet! Use nossa calculadora de alimentação natural para receber um orçamento personalizado da AN que seu animalzinho de estimação precisa.

WhatsApp chat